sexta-feira, 22 de maio de 2015

Resumo Reunião de Câmara do dia 14 de maio de 2015


Na passada quinta-feira, dia14 do corrente mês, os vereadores do Partido Socialista votaram favoravelmente:


ü  os apoios a atribuir no âmbito da ação social escolar para o 1.º Ciclo do Ensino Básico e Educação Pré-Escolar, para o ano letivo 2015/2016. Estes apoios incluirão, de acordo com o Despacho 18987/2009 do Ministério da Educação, refeições,  prolongamento de horário, material escolar e manuais escolares;

ü  os protocolos de cooperação com o Centro Paroquial e Social Santa Marinha de Avanca (50 000,00€), com o Clube Pardílhoense (10 000,00€) e a Associação de Solidariedade Social Filantrópica Veirense relacionados com o Orçamento Participativo Municipal (10000,00€);
 
ü  a atribuição de subsídio para o GARCI CUP 2015;

ü  a atribuição de subsídios para o ano de 2015 ao associativismo do Concelho de Estarreja(com uma abstenção).

No que diz respeito à emissão de parecer prévio vinculativo, os vereadores do confrontaram o presidente da Câmara, Diamantino Sabina, com o facto deste ter afirmado na última Assembleia Municipal, que o Sr. Luis Portugal, programador do Cine-Teatro de Estarreja e músico dos “Jafumega”, abdicou do seu “cachet” na atuação que o grupo vai realizar em Estarreja no próximo dia 20 de Junho.

Perante isto, os vereadores perguntam:

  • Sendo que o cachet dos Jafumega para a referida atuação - conforme se pode verificar nos documentos presentes na sessão de Câmara - é de 9 mil euros, qual seria o custo da actuação se o Sr. Luis Portugal não abdicasse do "seu" cachet?

Os vereadores consideram que 9 mil euros é um valor incompreensivelmente elevado por uma atuação dos Jafumega, quando comparado com outros preços de mercado na actualidade.

Para os vereadores do PS  é, no mínimo, “ética e moralmente” discutível, que o Sr. Luís Portugal, anunciado programador do cine-teatro, contrate o seu próprio grupo para uma actuação no cine-teatro de Estarreja, ainda para mais por um valor tão elevado.

Refira-se que a Câmara não paga os serviços prestados por Luís Portugal directamente ao próprio, mas à empresa “Detalhes com Encanto”, ligada, entre outros, ao ramo do mobiliário e carpintaria.

Os Vereadores Fernando Mendonça, Madalena Balça e Catarina Rodrigues.