terça-feira, 16 de abril de 2013

Estragos ocasionados pelo mau tempo no Baixo-Vouga estão a permitir a entrada de água salgada e a colocar em risco os terrenos agrícolas para os próximos anos



FERNANDO MENDONÇA PROPÔS QUE A CÂMARA DE ESTARREJA ASSUMA DE IMEDIATO A REPARAÇÃO PROVISÓRIA NOS ROMBOS DO CAMINHO DE CONTENÇÃO

Na sequência dos estragos provocados pelo mau tempo dos últimos dias, que provocaram rombos no caminho de contenção do Baixo Vouga Lagunar por onde está a entrar água salgada para os terrenos agrícolas, na freguesia de Canelas, Fernando Mendonça apresentou na sessão de Câmara de hoje uma proposta para que a Câmara tome a seu cargo, no imediato, a realização das obras de reparação provisória dos rombos.
O candidato à Câmara de Estarreja pelo Partido Socialista, que no passado domingo de manhã visitou a zona afetada na companhia de agricultores locais, apelou a que a Câmara «compreendesse a urgência da situação» e propôs que «nos termos legalmente previstos para as situações de emergência», tomasse a seu cargo a realização das obras de reparação provisória dos rombos, contratando desde já «um operador de máquinas especializado»,indicando mesmo para o efeito um empreiteiro de Canelas, «pela sua experiência na resolução de uma situação anterior no mesmo local», justificou.

Fernando Mendonça diferenciou esta proposta de quaisquer outros trabalhos definitivos ou projectos a longo prazo que existam para o local. «O que interessa é, neste momento e com toda a urgência, evitar a entrada de água salgada nos terrenos agrícolas», referiu.

O candidato à Câmara alertou ainda para o facto de «a entrada de água salgada nesses terrenos, como foi dito de viva voz e de forma dramática pelos agricultores, não só destrói as culturas e flora atualmente existentes, como coloca em causa por um período que pode atingir os 20 anos, a produção de quaisquer bens agrícolas, devido à permanência da salinidade».

Recorde-se que ainda recentemente o Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (MAMAOT), emitiu uma nota em que dizia que Equipas do Ministério estavam «a acompanhar no terreno a situação nos campos do Baixo Vouga» e que está «trabalhar para uma solução definitiva». Mas não esclarece se o «acompanhamento no terreno» da situação, visa proceder à reparação dos rombos que estão a permitir a passagem da água salgada para os campos agrícolas. E é «isso é que verdadeiramente está em causa neste momento», lembrou Fernando Mendonça. «Está em causa o ecossistema e o próprio Bioria».

O Candidato à Câmara de Estarreja pelo PS, na proposta que também foi subscrita pela outra vereadora socialista, Catarina Rodrigues, propôs ainda que a câmara, depois de assumir o encargo financeiro pela execução dos trabalhos, «reclame da parte do governo o reembolso desse pagamento».

Durante a discussão que se gerou na sequência da apresentação da proposta ficou patente que, até hoje, a Câmara de Estarreja se tem limitado a dar conhecimento ao Governo do que se está a passar e que deve ser este a resolver o problema.

No entender de Fernando Mendonça a questão «é muito séria» e o que é preciso já «é uma solução, ainda que provisória, resolva o problema de imediato e evite maiores danos»