terça-feira, 5 de março de 2013

Um Futuro Feliz para Estarreja é o compromisso do candidato do PS à Câmara Municipal


CASA CHEIA, MUITA EMOÇÃO E ENTUSIASMO
NA APRESENTAÇÃO DA CANDIDATURA DE FERNANDO MENDONÇA

O salão da banda Visconde de Salreu encheu no passado sábado para receber as mais de 300 pessoas que quiseram participar no jantar de apresentação da candidatura de Fernando Mendonça à Câmara Municipal de Estarreja, nas listas do Partido Socialista.

Foi num ambiente de entusiasmo que o candidato traçou as linhas gerais do seu programa para os próximos 4 anos de Estarreja. Assumindo claramente a vontade de ganhar as eleições, Fernando Mendonça referiu que chegou “a hora da mudança”, depois de 12 anos de Coligação do PSD/CDS em Estarreja. Os números do Instituto Nacional de Estatística divulgados no último Censos 2001-2011 “não podem sem mais claros: Estarreja perdeu 1185 habitantes, o que é praticamente o equivalente a uma freguesia como Fermelã” e cerca de 25% de indústrias”, o que quer dizer que “ao fim de 12 longos anos”, Estarreja “não é atrativa para pessoas, nem para investidores”, aludindo a um slogan utilizado pela Coligação nos últimos mandatos.



Fernando Mendonça disse que é fundamental que a “Câmara seja um local de resolução de problemas das pessoas e apoiá-las, nestes tempos de crise”, ao mesmo tempo que deve ser “um motor de desenvolvimento”, porque “o país e o concelho não vão acabar amanhã”. O candidato recordou que a coligação PSD-CDS/PP que governa a Câmara é a mesma que está no governo e que está a “conduzir o país à miséria”. Na Coligação "identificam-se tanto com o governo, que não só não se ouve da Câmara uma voz de protesto, como até vão coligados às eleições, imitando a coligação que governa o país”. É necessário que a Câmara “assuma a liderança para sairmos de onde nos encontramos, porque há uma saída”, referiu. Apontou o eco-parque como uma obra que se “arrasta há 12 anos” e que tem de ter “outra dinâmica e outro modelo de gestão, para poder funcionar”. Defende que, a par da indústria tradicional, Estarreja tem de apostar nas potencialidades e no incremento das “indústrias criativas” como “uma nova via de desenvolvimento económico e de emprego, sobretudo para os jovens estarrejenses”.



Os candidatos às câmaras de Espinho, José Mota; de Ovar, Vítor Ferreira; e de Aveiro, Eduardo Feio, fizeram questão de estar presentes, bem como o deputado da Assembleia da República, Filipe Neto Brandão, para além de outras figuras do PS distrital. A estrutura nacional do PS esteve representada pelo responsável pela organização nacional do partido, Miguel Laranjeiro, que na sua intervenção traçou a visão de Portugal e apontou soluções apresentadas pelos socialistas, ainda no último debate na Assembleia da República realizado na véspera. Laranjeiro traçou rasgados elogios à capacidade política e de liderança do candidato Fernando Mendonça.

Gonçalo Costa, líder da Juventude Socialista concelhia mostrou o seu vivo entusiasmo e o seu compromisso em integrar o projeto “Futuro Feliz” com uma visão jovem, defendendo a implementação de uma política que permita aos jovens fixarem-se no concelho, através da criação de emprego e de condições para residirem.

A surpresa nas intervenções da noite foi protagonizada por Madalena Balça, realizadora de rádio e apresentadora de televisão, residente no concelho, em Pardilhó, que na qualidade de independente, entende que “chegou a hora de intervirmos mais e melhor, a partir da nossa aldeia, do nosso concelho, para ajudar o país a ultrapassar este momento”, sublinhando a sua admiração pelo candidato Fernando Mendonça, a quem reconhece “grande capacidade de liderança e com ideias para os vários sectores concelhios, capaz de nos conduzir a um Futuro Feliz”.

O jantar-festa, que foi marcado por momentos de grande emoção, serviu também para se voltar a ouvir de novo o hino da campanha “Futuro Feliz”, que volta a andar no “ouvido” de todos.