quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Campanha eleitoral disfarçada de solidariedade



Os pais dos alunos da Escola Básica Padre Donaciano de Abreu Freire receberam um papel a convidar os alunos para levarem géneros alimentares e/ou brinquedos para um cabaz, a ser distribuído pela Câmara Municipal, pelas famílias carenciadas do concelho de Estarreja.

Consideramos este pedido da Câmara, feito através de uma escola, aparentemente tão solidário, absolutamente lamentável.


Lamentável, porque se aproveita das boas intenções das pessoas para ajudar os outros nesta altura de Natal, com o objetivo de doarem bens, para colocar o novo candidato à Câmara a distribui-los pelas supostas famílias mais carenciadas, para o dar a conhecer à população. Ou seja, é apenas uma manobra de campanha eleitoral, disfarçada de boa acção natalícia.


É lamentável, porque se a Câmara se preocupasse com o bem estar das famílias carenciadas, pagava o que deve às instituições de solidariedade social que, durante todo o ano - e não só no Natal -, tratam diretamente com essas famílias. O subsídio do ano passado não está pago e, relativamente a 2012, apesar de estarmos em Dezembro, nem sequer se sabe se será atribuído.

É lamentável, porque quem tem o conhecimento "no terreno" sobre as famílias carenciadas são as instituições particulares de solidariedade social; e tais famílias nem sempre são as que o poder autárquico pensa, porque a câmara não dispõe sequer do seu levantamento.



O que deveria ser feito era distribuir os bens levados pelas crianças pelas instituições, para que estas os distribuíssem pelas famílias, de facto, carenciadas.
Num quadro de eleições - e em que o candidato do PSD tenta disfarçar que é um apoiante de Passos Coelho e que é líder concelhio do partido que no governo está a arruinar a vida dos portugueses - não pode valer tudo, muito menos brincar à caridade ou aproveitar-se das crianças das escolas e dos mais desfavorecidos para fazer campanha eleitoral.