segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

COMUNICADO


CHUMBO DAS MOÇÕES DO PS NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL LEGITIMA
EXTINÇÃO DE FREGUESIAS EM ESTARREJA E
ENCERRAMENTO DEFINITIVO DO HOSPITAL VISCONDE DE SALREU

Incompreensão, Indignação e revolta, são as expressões que ocorrem à Comissão Política de Estarreja do Partido Socialista, após a reprovação na Assembleia Municipal de Estarreja realizada no passado dia 15 de Dezembro, das duas moções apresentadas pelo grupo parlamentar do PS.

O PS considera da máxima irresponsabilidade o chumbo destas duas moções e que com isto foram colocados em causa os interesses de Estarreja, quer na manutenção do seu mapa de freguesias quer, de um modo que tocará directamente no acesso aos cuidados de saúde dos estarrejenses, com o mais que provável encerramento do Hospital Visconde de Salreu.

As moções manifestavam-se contra a extinção e aglomeração de freguesias prevista para o município pelo denominado “Livro Verde da Reforma Administrativa” e contra o encerramento do Hospital Visconde de Salreu, exigindo ainda explicações sobre a situação do novo Hospital garantido pelo anterior governo do PS.

Ambas as moções tiveram os votos contra dos deputados do PSD e do CDS, acompanhados pela CDU no caso do Hospital.


Sobre a Reforma Administrativa

No caso da moção sobre a reforma administrativa, a coligação PSD-CDS/PP acusou o PS de oportunismo político por ter apresentado o documento a votação quando está prevista para o dia 28 de Dezembro uma reunião Assembleia Municipal para discutir o tema. Só que essa reunião, por muitas conclusões e exigências que produza, pouco ou nenhuns efeitos práticos terá, já que o governo comprometeu-se a elaborar o projecto-lei sobre esta matéria até ao final do ano, ou seja, 3 dias depois!

De resto, esta posição da Coligação só pode ser entendida como uma subjugação ao Governo. Note-se os casos bizarros dos Presidentes de Junta de Veiros (José Fernando Henriques) e de Pardilhó (este, Manuel Nascimento, disse mesmo que lutaria até à “última gota de sangue” pela manutenção de Pardilhó!), que haviam já aprovado documentos com teor semelhante nas suas Assembleias de Freguesia, votaram agora contra uma proposta do mesmo teor na Assembleia Municipal.

Com este voto está aberto assim o caminho para a aplicação da proposta do governo e para a extinção das freguesias de Beduído, Pardilhó, Salreu e Veiros.

Registe-se que estes autarcas do PSD de Beduído (José António Marques), Pardilhó (Manuel Nascimento), Salreu (Joaquim Henriques) e Veiros (José Fernando Henriques) preparam-se para ficar sem as freguesias para as quais foram eleitos como representantes máximos, sem o mínimo de resistência!

Registe-se, também, que para o Presidente da Câmara (José Eduardo Matos) e para os 4 vereadores em regime de permanência (Abílio Silveira, Diamantino Sabina, Rosa Simão e João Alegria) é como se nada de importante estivesse prestes a acontecer, porque nenhum deles reclama contra o seu próprio Governo!

A Assembleia Municipal está toda calada, a defender os superiores interesses do PSD e CDS nacionais!

Os autarcas de Estarreja são o sonho de qualquer Governo! Levam e encolhem-se, sem resistência, certamente com medo do Sr. Presidente não consiga o seu tão ambicionado lugar na tal estrutura-piloto regional que o Governo anda a criar noâmbito da CIRA.


 Sobre o Hospital

O PS Estarreja considera que esta é uma situação da máxima gravidade e abre totalmente o caminho para o encerramento da principal estrutura de cuidados de saúde do município. Com esta votação, o governo está totalmente legitimado a encerrar de vez o Hospital Visconde de Salreu. Aliás, relembramos que já Manuela Ferreira Leite disse que estava contra a construção de um novo hospital em Estarreja nas legislativas de 2005. Apesar disso, ganhou em Estarreja, ao contrário do país.

Mais incompreensível é o facto de muitos que no passado andaram em manifestações contra o encerramento das urgências no período nocturno – como é o caso do Presidente da Câmara – terem instigado este voto contra, quando o que está em causa é muito mais grave.

Estarreja está em risco de perder um Hospital Novo sem quaisquer explicações e em risco de perder o actual, com a conivência do PSD e do CDS e de todos quantos não votaram a favor da moção do PS. São eles, agora também, responsáveis pelo fim do Hospital Visconde de Salreu.