terça-feira, 11 de outubro de 2011

BIORIA DESTRUÍDO PELO FOGO
E A CÂMARA É COMO SE NÃO EXISTISSE


Durante mais de 4 dias o fogodestruiu uma vasta área de vegetação inserida na zona protecção especial da Riade Aveiro, no concelho de Estarreja, cuja dimensão não está ainda calculada masque se estima em mais de 100 hectares.A ocorrência, já de si muitograve, ganha uma gravidade acrescida pelo facto de ter sido destruída grandeparte da área ocupada pelo BIORIA, projecto ambiental no qual têm sido, aolongo dos últimos anos, efectuados avultados investimentos, tanto em meios materiaiscomo humanos.
O Partido Socialista lamenta profundamentea perda desse património natural e ambiental de Estarreja. E por se tratar deuma riqueza ecológica de valor incalculável, a sua destruição não pode passarem claro.

O PS repudia antes de mais osilêncio da Câmara Municipal de Estarreja face a um desastre ecológico destadimensão ocorrido no município.
Não se compreende que sendo aCâmara a entidade gestora e principal financiadora do Projecto Bioria e sendo aProtecção Civil Municipal uma responsabilidade do Presidente da Câmara, nem umaexplicação ou uma palavra se tenha ouvido, até agora, sobre a ocorrência.

O PS e a população deEstarreja exigem saber, em concreto:
- Face ao património ecológicoem causa e aos elevados montantes de dinheiro do município investidos noprojecto, que tipo de meios de detecção e de prevenção a Câmara tinhadisponíveis no local prontos a actuar de imediato face a situações destas?
- Que diligências foramtomadas pela Protecção Civil Municipal e que meios foram accionados para atacaro incêndio logo após a sua detecção?
- Como é que o Presidente da CâmaraMunicipal de Estarreja, responsável máximo pela Protecção Civil Municipal,explica ou aceita pacificamente que um fogo num terreno plano, sem acidentesgeográficos, tenha reacendimentos sucessivos ou dure 4 dias a apagar?
- Que tipo de diligênciasefectuou o Presidente e responsável máximo pela Protecção Civil Municipal, parasensibilizar o Governo, os Serviços centrais da Protecção Civil, os Bombeiros eas forças no terreno, para a utilização de todos os meios necessários – face aobem em causa –  para evitar que oincêndio tomasse as proporções que tomou?
- E tendo-se verificado, comoparece ser o caso, reacendimentos e suspeita de mão criminosa, que diligências efectuouo responsável pela Protecção Civil Municipal, junto das autoridades, no sentidode ser acautelada a prática continuada dos crimes?
- Porque é que não se ouviuaté agora, da parte da Câmara, uma única palavra sobre o assunto?

Este incêndio no BIORIArevela, uma vez mais, uma total ausência da Câmara face reais problemas doconcelho.
Lesta a aparecer nas viagenscom idosos que custam vinte mil euros ao município, ágil a anunciar pontespedonais que custam mais de 500 mil euros, orgulhosa a revelar a observação deum novo “passarinho americano” no BIORIA, esta Câmara esconde-se nos momentosem que a sua presença é exigida e sua actuação necessária.
A catástrofe ambiental que durantequatro dias destruiu este património ecológico e a consequente ausência dequalquer sinal por parte da Câmara é mais um triste exemplo o que temos àfrente dos destinos desta terra. Estarreja é hoje uma terra à deriva e sem rumo.
Falta, de facto, quem oriente.Falta, de facto, quem mande!
 
PARTIDO SOCIALISTA
Concelhia de Estarreja