domingo, 15 de março de 2009

NOTA DE IMPRENSA - JS NACIONAL
Pedro Vaz e Fernando Mendonça defendem a adopção de
Orçamentos Participativos

A Juventude Socialista Nacional organizou em Estarreja uma iniciativa que visava um debate aprofundado acerca de Orçamentos Participativos (OP). No Hotel Eurosol estiveram presentes cerca de cem jovens para ouvir e dialogar com alguns dos maiores especialistas europeus da matéria como são Giovanni Allegretti e Nelson Dias. Discutiu-se o enquadramento conceptual, a sua adopção em Portugal e no Mundo e as suas inovações.
Um OP é um mecanismo de democracia participativa que permite aos cidadãos influenciarem orçamentos públicos, sejam eles temáticos, actoriais ou territoriais. A Juventude Socialista defende que os OP’s sejam adoptados pelas autarquias de todo o país como forma de melhorar a nossa democracia, envolvendo directamente os cidadãos na governação municipal.

Pedro Vaz, Secretário-geral adjunto da JS Nacional, considerando o tema e a aproximação das eleições autárquicas em Estarreja, afirmou na sessão de encerramento do evento que “Fernando Mendonça é a pessoa certa
para aproximar as políticas dos cidadãos” e acrescentou que neste momento “não há projecto ou orientação por parte do poder político local em Estarreja”.
O candidato à Câmara Municipal de Estarreja pelo Partido Socialista também esteve presente e, após aludir à “grande qualidade da iniciativa da JS, pela competência dos palestrantes e pela adesão” que a mesma teve, assumiu um compromisso eleitoral: “Quem não tem medo das suas próprias ideias, não tem medo de as pôr à discussão. Os OP’s vão fazer parte do meu programa eleitoral”. E lançou o repto: “gostava de ter na JS um parceiro fundamental para dar a Estarreja um Futuro Feliz”.
Afonso Candal, presidente do PS Aveiro, consolidou a importância dos OP’s pois “principalmente neste período de crise em que a crítica ao poder político é muito mediática importa adoptar mecanismos a partir dos quais os cidadãos se sintam mais envolvidos”.A Juventude Socialista vai fazer um esforço para que, em primeiro lugar, os autarcas do PS estejam sensibilizados para aceitar os Orçamentos Participativos enquanto meio privilegiado de gestão municipal. Esta será uma proposta que certamente figurará no futuro Manifesto Autárquico da JS.

Bruno Julião – Comunicação JS